Dois recém formados bacharéis em Direito passeavam por um museu de História Natural quando observaram que um dos monitores do local estava organizando um grupo para fazer uma excursão pelo estabelecimento.

O tempo livre proporcionado pelo final das aulas permitiu que os rapazes desfrutassem do passeio.No meio da jornada, quando ainda se encontravam na seção dos animais africanos, já estavam enfastiados e não mais conseguiam manter sua atenção no guia do museu.

Foi então que começaram a conversar sobre o assunto mais popular entre os bacharéis:

– Hei, Poltrão, você já começou a se preparar para o Exame de Ordem?

– Claro que não. Minha mãe está contratando um advogado para mover uma ação que vai acabar com a necessidade de prestar o Exame.

Essa exigência para a obtenção da credencial de advogado é absurda e inconstitucional! Quem deve medir a qualidade do ensino é o Ministério da Educação e não a OAB!

Isso é uma injustiça com quem estudou anos para se formar e, então, não poder exercer a profissão.

Nesse momento a narrativa do monitor se faz ouvir por ambos:

“Observem que os gnus machos disputam entre si as fêmeas e os mais fortes acabam formando grandes haréns. Isso pode parecer um tanto injusto para com os demais gnus, mas é de grande valia para espécie que precisa ser preservada."

Os olhos dos jovens, que estavam fixos no palestrante voltam a fitar-se:–

De qualquer sorte – prosseguiu Poltrão

– a medida que estamos movendo não beneficiará só a mim, mas também a todos os bacharéis no Brasil inteiro.

Não estou pensando apenas em mim. Faço isso pela coletividade. Não estou com medo de fazer a prova...

O guia os interrompe mais uma vez:

“É claro que a gazela tem medo do leão, seu predador natural. Mas o que ela não sabe é que o leão possui uma função essencial no seu ecossistema. Se o leão não existisse, haveria uma explosão populacional de gazelas que iria consumir todos os recursos naturais do seu meio ambiente, levando muitas, senão todas, à extinção. Não haveria pasto para todos os indivíduos.”

– Bem, mas, há alguns anos, nem era necessário fazer a prova para obter a carteira da Ordem.

E prossegue o anfitrião:

“E agora, vamos conhecer o trabalho de Charles Darwin, segundo o qual as espécies evoluem, tendo que se adaptar às novas realidades que se lhe apresentam. Essa adaptação dá-se gradualmente, por meio de uma seleção natural.

”Os bacharéis deixaram o museu perguntando-se se o guia estava escutando a conversa paralela que mantiveram entre si.

* * * * *Tempos depois, os amigos se encontraram e aproveitaram para retomar o assunto que iniciaram no museu -, o Exame de Ordem:

– Graças a Deus, me matei de estudar, mas consegui passar.

E você Poltrão? Se eu tive que fazer a prova significa que sua ação foi improcedente, não?

Pois é: deu zebra.(*)

 

Por Rafael Berthold,advogado (OAB-RS nº 62.120)

E.mail: rafael@seb.adv.br